#relacoespublicas #rp #rpmoda #pr #publicrelations » 2011 » Outubro » 20 » Exclusive: An Interview with Suzy Menkes
21:35
Exclusive: An Interview with Suzy Menkes

Para abrir o apetite do IHT, Suzy Menkes, editora de moda de renome do IHT, fala sobre a conferência e o que podemos esperar para aprender lá.

LS: A conferência deste ano tem lugar em São Paulo, retornando a um país BRICS, pela primeira vez desde Nova Delhi em 2009. Pode dizer aos membros da Sociedade de luxo porque o Brasil é o lugar para estar a falar sobre o futuro do luxo?


SM: Eu estou espantada que os países que têm os olhos fixos no Extremo Oriente - e especialmente a China - não olhe Sul também. Países da América Latina – e o Brasil em particular - tem um legado tão de bom gosto e bom artesanato. A conferência IHT já visitou Moscou, Hong Kong e Índia nos países Bric. Assim, o São Paulo da conferência é uma progressão natural.


O mais importante sobre o Brasil é que ele entende de luxo e também de negócios. Há muitos home-grown marcas no Brasil e produtos de luxo, como jóias, sapatos e artigos de couro. Eu acredito que haverá uma troca de idéias entre latino-americanos, americanos e delegados europeus e que vai ser uma combinação muito interessante.


LS: China e sua classe média explodindo têm desempenhado um papel enorme no desenvolvimento de produtos de luxo e moldar as marcas de varejo. Você acha que o Brasil tem a mesma capacidade de mudar o campo de jogo?


SM: Para o consumismo de alto nível, a China tem sido um campo aberto de jogo. Marcas têm sido capazes de fazer uma marca em solo pristine - motivo pelo qual você pode encontrar anomalias, como quando uma menor marca conhecida no mundo ocidental desenvolveu uma grande importância no Oriente. Potenciais consumidores brasileiros estão mais sofisticados e, crucialmente, viajou mais do que seus equivalentes do Extremo Oriente.


Mas em muitos aspectos importantes, há semelhanças: em especial a demografia do Brasil e toda a América Latina. Como com a China, a percentagem da população com menos de 30 torna imperativa para informar e educar os jovens para quem as marcas internacionais são muitas vezes apenas um nome, sem entender que além do patrimônio ou o conteúdo verdadeiro.


Então, o Brasil precisa de uma abordagem semelhante à China. Mas desde que a América Latina não sofreu uma revolução cultural, gestão da marca tem que ser respeitosa e consciente do quadro existente - tanto no varejo e no espírito dos consumidores.


LS: Este ano está acontecendo a mistura de luxo com proeminentes diretores criativos da marca, com alguns dos mais experientes no varejo da América Latina local, comunicações e especialistas econômicos, que valor que você está esperando essa combinação vai proporcionar aos participantes?


SM: O encontro de mentes e troca de idéias é de vital importância em um mundo global. O International Herald Tribune conferências de luxo oferece uma oportunidade excepcional para discutir questões da indústria. Eu sei que o Brasil se orgulha de sua própria herança do artesanato e também já tomou uma atitude positiva para a sustentabilidade e artesanato - assuntos que só entrou no mundo de luxo existe relativamente há pouco tempo no Ocidente.


O negócio de 'verde' tem crescido substancialmente desde o IHT introduzido em ambos Istambul e em Nova Delhi o conceito de sustentabilidade como um elemento de luxo moderno. Brasil tem experiência destas questões, se ele está usando produtos "verdes" ou de designers com o trabalho manual de pessoas pobres nas favelas. Mas também há muitas coisas a aprender sobre varejo no Brasil que pode surpreender alguns delegados: por exemplo, o uso generalizado de quais são efetivamente os empréstimos de varejo - a possibilidade de comprar produtos e pagá-los em um período de tempo.


Como os brasileiros optam por fazer compras - principalmente em shoppings de luxo - é também crucial para a compreensão do varejo. Embora o "Os Jardins” de São Paulo sugere que o Brasil pode estar mais perto em espírito para o varejo ocidental do que muitos outros países do Bric.


Um monte de reuniões de mentes será sobre as atitudes, ao invés de questões concretas. Acho que a sensação go-go da economia brasileira, combinada com a atitude enraizada do país de saída e de sol, será um choque de cultura de varejo para os participantes do Ocidente. Que se inclinou na desgraça e tristeza de incerteza econômica e entusiasmo dos clientes encolhendo-se.

http://static.luxurysociety.com/newsletter/IHT2011/interview/images/suzymenkes.jpg


By Luxury Society
Categoria: RP Pergunta | Visualizações: 826 | Adicionado por : netoangel | Tags: Luxury Society, luxury, International Herald Tribune, Suzy Menkes, conference, interview, Exclusive | Ranking: 0.0/0
Total de comentários: 0
avatar
tweet wall for events

Relações Públicas Internacionais em Moda e Marketing de Guerrilha

https://mts0.google.com/vt/data=dNIm6hApM8tCvyLTqINlPVCpSbU-sd8deZHrlf-oLjKXL-nOhDAOwlOQj7e4Syd7GeJdOW6ZhDVVrZ_Du9OEqs84cPRRXw2TmL_luQc


Neto Angel - Relações Públicas I Digital Fashion Specialist 
tel: +55(11) 98459.5896 São Paulo - Capital
http://angelnews.at.ua/relacoes_publicas_digitais.pdf
SEO-PING
Agência Digital de Relações Públicas & Marketing Digitais by Angel News